Artigo: A Moda que lhe pertence

Moda para mim é acima de tudo respeito e bom-senso. Respeito à individualidade, ao gosto de quem veste uma peça, ao estilo e personalidade de cada um. E bom senso para não sair por aí “vestido de vitrine”,  mas estampando acima de tudo uma atitude que tem relação com o bem-estar. Pois não é que a escritora Lygia Maya, com palavras muito mais bonitas, pensa a mesma coisa e muito mais sobre o assunto? Abaixo, divido com vocês um artigo muito coerente da autora sobre a nossa nem sempre harmoniosa relação com o mundo fashion. Taí uma boa oportunidade para quem estiver precisando se reconciliar com a moda. Vale a pena conferir e quem sabe, tentar olhar esta forma de expressão da criatividade humana com outros olhos.

*A Moda que lhe pertence

Por Lygya Maya

Um pouquinho de humor: Edna Moda, a hilária estilista da animação Os Incríveis, da Disney/Pixar

Do frânces mode e do latim modu, a palavra moda é a maneira ou o modo como as pessoas vivem. Hoje a palavra está mais relacionada à maneira de vestir: o modo como as pessoas se vestem significa moda. Sendo assim, a moda está em todos os lugares aonde vamos, desde o trabalho até os compromissos sociais.

Já ouvi centenas de reclamações de mulheres baixinhas, gordinhas ou mais velhas dizendo que no mercado só são vendidos artigos para o tipo de mulher que se encaixa nos padrões de beleza da moda, e que para elas, as “normais”, não há nada.

Será que as grandes marcas e estilistas desenham suas coleções pensando na mulher comum ou se baseiam em estereótipos de beleza? E será que realmente temos de aprender a vestir certas roupas só porque terceiros desenharam a moda? A maneira que gostamos de nos vestir ou de viver deve ser a mesma de uma celebridade ou de uma manequim alta, magra e com um certo look para sermos elogiadas ou apreciadas pela sociedade?

E a sua personalidade e seu próprio estilo, onde ficam? Geralmente ninguém que você conhece ou vê na rua se veste no dia-a-dia como se estivesse em um desfile de um grande estilista. E pouquíssimas pessoas têm dinheiro para pagar a alta costura, além de ter um corpo raro de modelo.

A grande maioria das mulheres faz a moda de acordo com o que tem no guarda roupa e com o que o orçamento dá para adquirir. Já a moda dos estilistas é bem apreciada pela mídia, pois as pessoas gostam de ver e mostrar novidades. Mas não é por isso que você deve se constranger por não estar “na moda”.

Caso pense que não está adequada em seu modo de vestir, não se esqueça que nós, mulheres “normais”, também fazemos moda.  Devemos nos orgulhar em vestir o que for mais conveniente, sem se preocupar se estamos dentro dos biotipos de beleza atuais. Ditar a nossa própria moda, usando o que nos faz sentir bonitas, de acordo com nossa personalidade, é que pode e deve ser a maneira de nos vestir.

E para que isso aconteça de forma mais divertida, vão aqui algumas dicas:

1. Use sua curiosidade + sua criatividade e…voilá! Você achou sua personalidade no modo de se vestir!

2. Delicie-se com o que você tem no guarda roupa: ponha todas as suas roupas e acessórios lado a lado para ver o que há disponível, e depois os misture uns com os outros para ver o que combina melhor. Essa é uma ótima dica para você estar sempre variando e usando combinações que nunca pensou antes.

3. Use cores que façam você se sentir bem, de acordo com o seu humor ou com o dia: caso esteja chovendo, use vermelho para contrastar com a falta de luz. Ou use cinza para combinar com o clima frio, mas coloque um acessório contrastante, isso vai dar um gostinho apimentado ao vestuário.

4. Combinações divertidas de cores fazem você ser única em qualquer lugar: verde bandeira com rosa pink puxado para o lilás, azul rei com vinho, marrom com amarelo, branco com prata… Ou se inspire nas flores, que dará tudo certo. O que vale é a imaginação!

A escritora Lygya Maya não teme em ousar nos acessórios e assim mantém um estilo pessoal marcante

O importante mesmo é você saber que tem em mãos o poder de fazer sua própria moda, sem ser contestada. Aliás, quando você se conhece e sabe o que faz você se sentir bem, independente do que as lojas estão vendendo, você aparece em qualquer lugar como uma “mulher diferente”, que tem personalidade. E você já deve ter percebido que quando notam e elogiam como você está vestida, é porque está sendo única e criativa.

Espero que você tenha captado minha dica pelo seu coração e não pela lógica. Assim fazendo, você vai economizar muito dinheiro e energia também, além de viver menos estressada e com mais autoestima.

*Lygya Maya é autora do e-book Ame as Emoções que Você Odeia (2008), disponível no site da escritora: www.lygyamaya.com.br. Este artigo está sendo reproduzido no blog com a devida permissão da autora. O texto foi enviado para nós via email.

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigo, Comportamento, Moda, Mulher e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

DEIXE UM COMENTÁRIO!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s