Câmara aprova projeto sobre alienação parental

alienacao parentalUma boa notícia nesta quarta-feira, dia 15.  A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal aprovou hoje,  por unanimidade, o Projeto de Lei 4.053/08, do deputado federal Regis de Oliveira (PSC-SP), que regulamenta a Síndrome da Alienação Parental (caracterizada quando o pai ou mãe, após a separação, leva o filho a odiar o outro) e estabelece diversas punições para a má conduta, que vão desde advertência e multa até a perda da guarda da criança.

O projeto foi aprovado com o parecer do relator Acélio Casagrande, que prevê, além da perda da guarda, a prisão, de até dois anos, para o autor da alienação parental em crianças e adolescentes. A aprovação contou com o voto de 37 deputados.  Tramitando em caráter conclusivo, o projeto de lei terá agora seu mérito examinado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara e depois irá para o Senado.

=====================

Leia também:

>>Saiba o que prevê o Projeto de Lei contra alienação parental

Anúncios
Esse post foi publicado em Comportamento, Família e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

36 respostas para Câmara aprova projeto sobre alienação parental

  1. Karla Mendes disse:

    Muito boa notícia!

  2. Giovana disse:

    Hoje em dia, tudo torna-se doença, desvio, anormalidade. Taxam-se distúrbios, sem contudo, investigar as reais causas do dito problema.

    A verdadeira “alienação parental” é aquela em que não se pensa se realmente quer ser pai ou mãe, se isto é um desejo próprio ou da sociedade. Geram-se filhos, crianças, seres humanos muitas vezes indesejados, que serão descartados no futuro, deixados à frente de um computador, em instituições ou com terceiros.

    Alienação mesmo é quando não se quer compreender as reais necessidades dos filhos. É não saber conversar, não os ensinar a dialogar, é manter o velho preconceito, “ah, criança não entende!”. Relações constituídas à base de imposições e obrigações, APENAS.

    É querer que as crianças tornem-se adultos o mais rápido possível a fim de isentar-se da responsabilidade de ser pai ou mãe.

    Hoje em dia, “ser mãe” não é mais um dever ou um “sonho”. É uma escolha…

  3. Andreia disse:

    Com certeza Giovana, concordo com suas colocações, são muito lúcidas e pertinentes. Mas, não podemos esquecer que muitas vezes, pais e mães usam os filhos como poder de barganha, porque querem pensão mais elevada ou porque não querem pagar pensão, ou porque, magoados com o fim do relacionamento, querem ferir um ao outro afastando os filhos e quem sai ferida é a criança. A lei contra alienação parental visa corrigir esse distúrbio, o da chantagem. É um crime contra uma criança, contra o adulto que ela vai ser, passar a infância ouvindo os pais se agredindo, é um crime ser privado do convivio de um pai ou mãe apenas porque a outra parte se ressente de um segundo casamento do ex-companheiro (a). É de uma crueldade tão grande quanto todos os problemas de abandono que você citou. De fato, ser pai e mãe é uma escolha, que não deve seguir padrões sociais, mas a nossa própria vontade de colocar um ser no mundo e educá-lo, transmitir-lhe valores. Mas, uma vez que decidimos colocar um filho no mundo e o pai ou mãe dele não quer mais manter o relacionamento, é maldade, despreparo, crime de uma mesquinharia torpe, querer que o filho também se separe do próprio pai ou vice-versa.

  4. Amanda disse:

    Eu convivo com isso hoje, meu atual esposo que se separou da ex-mulher, vem impedindo-o de ver os dois filhos, pois ela quer que ele aumente a pensão dela. Há 15 anos que ela dependia dele, nunca quis trabalhar, sempre teve de tudo, empregada em casa, carro, dinheiro e sempre o maltratou, agora que ele quis separação, ela o faz passar por constrangimentos, chegando a fazer escandalos no trabalho dele, e colocando os filhos contra ele. Tanto que a filha dele de 13 anos o odeia por conta das coisas que a mãe inventa sobre o pai.
    Era um casamento de fachadas, infeliz. Hoje as pessoas julgam muito ele (por ser Homem) e acredita no que ela fala e não perguntam o pq da separação.
    Faz 1 mes que ele não ve os filhos, pq ela não deixa, tudo isso por vingânça. Essa lei será muito bem vinda quando entrar em vigor, pois evitará que essas mulheres ou homens cometam esses erros com os filhos, pois eles são os mais que sofrem com tudo isso.

    Obrigada.

  5. Mariana disse:

    Parabéns para o deputado Régi de Oliveira! Infelizmente muitas pessoas usam os filhos para ferir o ex parceiro ou ex parceira, esquecendo que não existe ex filhos e sim ex companheiros. Sou mulher, mas tenho que admitir que infelizmente muitas mães agem de forma extremamente egoísta, sem pensar no direito do outro. É pena que algumas pessoas só vejam as coisas da maneira que querem ver, por isso a importância dessa nova lei que vai fazer justiça e impedir o abuso contra as filhos de pais separados.

  6. Exatamente Mariana, é preciso ações para impedir que as crianças sejam vítimas de chantagem dos pais. Os deputados brasileiros costumam decepcionar bastante, mas desta vez se uniram em prol de um projeto realmente útil. Vamos torcer para a lei ser aprovada e cumprida de fato. Um abraço.

  7. Victoria disse:

    Olá cara Amanda!
    Eu também convivo com essa situação, meu marido teve uma namorada que engravidou, quando as coisas já não estavam bem na relação.Ele assumiu a criança. A pessoa já se casou, tem outro filho, mas vive usando a criança. Não deixe o garoto vir, só quando está perto de datas festivas.
    Eu tenho dois filhos com meu esposo, as crianças são loucas pelo irmão, mas a mãe, faz de tudo para afastá-los.
    Da ultima vez, ela se mudou, não deixou endereço, trocou o telefone, ficamos 08 meses sem contato c/ a criança.
    Mas a pensão está lá, todo mes.
    Eu acho isso um absurdo! Meus filhos sofrem, meu marido, até eu, pois me apeguei a criança. Meu caçula, chegou pra mim esses dias chorando…mamãe, meu irmão…vai se esquecer de mim…eu perguntei por que? porque ele não vem mais aqui e porque eu não consegui falar com ele no aniversário..
    Pois é…essa foi a ultima que ela aprontou, não conseguimos falar com o menino no aniversário dele.
    Enfim, essa criança como muitas outras está sendo usada…
    Parabéns mesmo, para o Deputado Régi de Oliveira!
    Acredito que, essa aprovação muito coisa será possível mudar!

  8. charles disse:

    Srs, acredito que a Lei deve dar uma segurada na utililização das criancas como moeda de troca, porém, eu mesmo vivo esta situação na pele, meus filhos estão com medo de mim, nao atendem o celular, vive desligado, e minha ex, recentemente evitou meu contato com eles, fiquei desempregado durante 9 meses e nao pude acionar juridicamente a questao de visitas ou de exercer meu direito, a Lei, numa questão desta, pode influienciar ainda mais negativamente , quando colocar em xeque as questões de entrevistas e avaliação psicologica das criancas, mas acho que ela deve segurar muito pessoas que se utilizam da guarda para ferir o outro ex companheiro(a), por esta atitudes ja demonstra porque o casal nao deu certo….

  9. Oi Charles,

    Você tem razão, as crianças deixarão de ser vistas como moeda de troca para serem tratadas e respeitadas como indivíduos que tem a liberdade de continuar tendo um pai e uma mãe, independentes dos dois não formarem mais um casal. Vamos torcer para a lei ser aprovada e ser respeitada. Um abraço.

  10. rosangela borba disse:

    ola, tambem concordo com essa lei, tomara aprovarem logo para acabar com tanta safadeza, meu marido tem dois filhos do primeiro casamento e esta passando por isso, a ex nao aceita que os filhos dele o procurem, éla so quer dinheiro nada chega faz mais de um ano que ele nao os ve, se eles quizerem ver o pai eles apanham dela, um tem 16 anos e o outro tem 15 anos, nao se guvernam ainda e ela tem a guarda, meu marido nao pode faser nada agora ela colocou eles conta o pai deve ser por ciume dele ter casado de novo e ela nao aceita a cituaçao. peço a deus pra vigorar essa lei de uma vez vai acabar com muitos sofrimentos do homens separados. e com filhos.

  11. Obrigado meu Deus, obrigado deputados eu sabia e sei que a justiça divina pode tardar mais não falha!!! eu sofro com toda essa situação que já foi abordada, e tenho filmagens de várias
    chantagens, espero que agora a razão procure o seu lugar e eu possa amenizar esse sofrimento que já me causou muitos prejuisos material,moral e psicológicos. Obrigado meu Deus.
    Célio j Carvalho.

  12. keller disse:

    Acabei de ler todos os relatos e estou muito emocionado, sofro exatamente isso… Estou impossibilitado de ver meu filho, a ex companhaeira nao aceita a separaçao, usando uma crianca em fase de formacao. Diz que nao pago pensao, enquanto todo mes o dinheiro é depositado… ameaca eu e minha esposa de morte, ja tentou me prejudicar no meu trabalho e minha esposa tambem… Meu filho é uma crianca indefesa e convive com a mae q simula mentiras para meu filho, chegando a passar a crianca por psicologa e obrigando meu filho dizer q a minha esposa bateu nele… Meu Deus como pode tremenda agreçao a crianca E MAE ficar impune?… As poucas vezes q consegui pega-lo me pediu socorro e q gostaria de morar comigo, mas cita q tem medo pois a mae faria escandalo… ESTA pequena crianca ja presenciou varios escandalo e agressao da mae… MAE Q AMA O FILHO NAO FAZ ISSO… CONFIO NESTA NOVA LEI… PEÇO AJUDA A JUSTICA, AMO MEU FILHO….

  13. Vicente P de Freitas disse:

    bastasse um “pequeno indicio” de alienação, através de um simples comportamento de um dos casais, a guarda poderia ser imediamente invertida, assim a maioria dos casais iriam repensar seus comportamentos mesquinhos.

  14. Douglas disse:

    Entendo e concordo que esse projeto de lei visa proteger as crianças de pais e mães inconformados com a separação do casal, porém, me preocupo que pais e mães que nunca quiseram saber de seus filhos, possam agora querer se valer dessa lei, para atingir a outra parte por simples sentimento de vingança ou algo desse tipo.
    Sou pai de duas meninas, a minha mais velha (hoje com 12 anos) é filha do coração, pois, quando casei com sua mãe ela tinha 3 anos e durante todo esse tempo por apenas quatro ou cinco vezes ela foi procurada pelos avós por parte do pai biológico, isso até ela ter mais ou menos 5 anos, depois disso mesmo possuindo nosso nº de telefone que por sinal ainda é o mesmo até hoje, e o nº de telefone da minha sogra, passaram-se os anos e nenhum contato mais foi feito. Temo que agora por conta da lei (prestes a ser aprovada), apareça alguém querendo reivindicar a guarda da minha filha ou qualquer coisa nesse sentido, afim de atingir a mim e a minha esposa. Vale ressaltar aqui que nunca dissemos ou inventamos para ela, qualquer estória que denegrisse a imagem do pai biológico.

  15. Douglas,
    Acredito que com a lei da alienação parental não existe o risco de alguém querer tirar a guarda da sua filha, a menos que fique comprovado que você ou sua esposa afastaram a menina deliberadamente do pai biológico. Como você afirma que esse não é o caso, com certeza, nenhum juiz irá aceitar um pedido de revisão de guarda de uma criança sem que a criança corra riscos. Se sua filha é criada com amor, tem uma família com condições de educa-la, prover seu sustento e orientar sua formação moral adequadamente, ela não deverá ser tirada de vocês. Quanto ao pai biologico, se ele não quis procurar a menina antes por iniciativa propria, a lei nao vai obriga-lo a procura-la.

  16. Elaine disse:

    Olá Douglas!

    passei por um prolema semelhante ao que voce relatou, meu ex tentou de todas as maneiras fazer prova de eu afastava das crianças, sendo que ele nunca gostou delas.. e muitas vezes ele sabia que eu precisava de folga ou coisa parecida, quando eu ligava pra saber se ele pegaria as crianças, ele me respondia:

    “Pra que? sou seu empregado? quer ir ao shopping? vai caçar macho? se vira nao quis ter filhos… se vira!”

    e para o resto da familia eu estava usando as crianças….

    porem de pronto a justiça desmascarou a farra dele….

    e torci muito pela APROVAÇÃO DESSE PROJETO

    de cada 3 crianças 1 sofre na mao de um alienador

  17. Vicente P de Freitas disse:

    terá efeito prático e revolucionário a aplicação da nova lei, se as autoridades estiverem bem preparados para enfrentar com coragem a inversão imediata da “guarda”, principalmente após a denuncia formalizada de que há um sinal de influencia de um dos pais para com o filho; E a solução é simples: basta que nos foruns de todo o país, nas varas de familias, tenha uma equipe multidisciplinar PREPARADA que possa dar um parecer imediato para o juiz decidir no momento da audiencia. Do contrário, será mais uma das leis que não ira vingar!!!pois a demora judicial dos processos , a cada fato novo, contribui para que o problema se agrave ainda mais e suas seqüelas para o resto de suas vidas!

  18. flavio disse:

    acho uma lei muito importante .minha ex mulher vive quendo jogar meu filho contra mime querendo proibir ele de me amar ve se pode .outro dia ele perguntou sobre mim . ‘onde esta meu pai’ .sabem o ela respondeu ? morreu .fiquei de cara com isso parece q ela nao sabe os danos que isso pode fazer a uma criança de trez anos e meio .

  19. Valter disse:

    Boa tarde Andreia, estou de concordo com seus comentários e dos outros participantes , porém para que esta lei ” pegue” é preciso que hajam mudanças no judiciário , principalmente na forma de receber e analizar as informações prestadas pelas partes . Após anos de alienação ver o alienador penalizado não corrige o erro. Digo porque vivo esta situação a pouco mais de quatro anos . Neste período descobri que basta denunciar junto ao ministério público que a outra parte , pai ou mãe, agride ou assedia sexualmente as crianças , que o juiz será praticamente obrigado a manter afastado aquele acusado, até que se prove serem verdadeiras ou não as acusações . Todos os envolvidos serão avaliados por psicólogos , assistentes sociais e se aguardará os vários passos que a justiça exige . Isto o manterá afastado das crianças por alguns anos .Tempo mais que suficiente para que a alienação seja implantada . Apesar de eu e as crianças vivermos na pele todas as falhas do processo, procuro ver friamente o que ocorre. Generalizar é sempre um erro, mas percebi que os profissionais envolvidos carecem de preparação específica para diagnosticar a alienação que apesar de estar em nosso meio a décadas apenas agora parece ser vista com mais cuidado . Tenho conseguido pequenas vitórias e com certeza eu e minhas filhas ainda estaremos juntos , mesmo que os anos passem ,não vou desistir nunca . Para aqueles que também vivem esta situação, se me permitem este é o recado , não desistam nunca, suas crianças vão te agradecer um dia !! Um grande abraço a todos , fiquem com Deus.

  20. Josiane disse:

    Foi uma boa pq sempre um dos lados sóq eu saem como vilão, assim ambas partes sabe onde começa e onde termina o respeito um pelo outro e exclusive da criança que vive a meio termo, assim serão punido quem realmente se demonstrar não ter condições de tal papeld e pai ou mãe, e existirão menas crianças traumatizadas

  21. marco aurelio do amaral fernandes disse:

    a lei da alienaçao parental foi aprovada?vale em todo brasil? quando ? vale para o rio de janeiro?qualo numero da lei ?

  22. Andreia disse:

    Oi Marco,

    Conforme o post acima, o projeto de lei número 4.053/08, de autoria do deputado federal Regis de Oliveira (PSC-SP), foi aprovado em 15 de julho pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal. Mas ainda não é lei definitiva, pois precisa ser aprovada também pela Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania da Câmara e depois irá para o Senado Federal. Só depois desse trâmite e do veto presidencial é que a lei passa a vigorar. Recomendo que você acesse os sites da câmara e do senado para acompanhar o trâmite.
    Um abraço!

  23. Adriana disse:

    Li todos os relatos e fiquei bastante sensibilizada.
    Sou vítima de alienação parental. Meus pais se separaram em 1970, quando eu tinha apenas 01 mês. Um ano e oito meses depois, minha mãe, então com 22 anos, casou-se com um criminalista de Maringá, homem de personalidade manipuladora e que tinha um ciúme doentio dela. Logo ensinou-me a chamá-lo de pai e a convenceu que seria melhor para mim que ela não me falasse sobre o meu pai mais (e passaram a evitá-lo e dificultar suas visitas), pois desta forma eu teria uma família convencional. Minha mãe, uma mulher fóbica e de personalidade influenciável e frágil, concordou, pois achou que estivesse fazendo o melhor para mim. Até completar seis anos e meio desconhecia a verdade. Achava que meu padrasto fosse meu pai. Ensinaram-me inclusive, a assinar meu nome com o sobrenome de minha mãe e o dele. Somente com quase 7 anos minha mãe me contou sobre meu pai. Promoveram um reencontro entre nós. Na verdade foi uma armação de meu padrasto que tinha interesse no divórcio de meus pais para que pudesse se casar com minha mãe, pois ela seria herdeira de um belíssimo baú no futuro e ele queria garantir-se. Conheci meu pai, mas até hoje não conseguimos recuperar o tempo perdido. Levei mais de 20 anos para chamá-lo de pai. Fiz-lhe inúmeras cobranças, pois na ocasião que minha mãe me contou da existência dele, contou detalhes da separação de ambos que me fizeram odiá-lo. Por outro lado, nunca me relacionei bem com meu padrasto, pois pior do que a ausência de meu pai em minha vida, foi a presença de um homem mau caráter e interesseiro como ele. O resultado disso tudo hoje é que fiquei solta no mundo: minha mãe tem a família dela com este sujeito (tiveram 03 filhos), meu pai refez a vida com outra mulher (tiveram dois filhos) e eu flutuo entre os dois núcleos sem me sentir pertencente a nenhum dos dois.
    Houve uma época, ainda na minha infância, que minha mãe separou-se de meu padrasto. Ele a agrediu fisicamente, fez-lhe diversas ameaças, escondeu-lhe seus filhos em comum por 04 meses. Mesmo assim, ela voltou com ele e estão juntos até hoje.
    Recentemente, meu avô materno faleceu e deixou duas fazendas para ELA. Meu padrasto já vendeu uma delas e pretende vender a outra. Com o dinheiro da primeira já abriu uma conta em nome dele com minha mãe e até hoje, embora meus meio-irmãos partcipem e saibam do paradeiro da herança, eu sou completamente marginalizada e posta à parte de tudo. Não me falam sobre o assunto. Não sei o que fazer…me tiraram tudo…Adriana

  24. Marcondes disse:

    Minha esposa esta divórciada a dois anos, vivemos juntos a um ano e meio, o ex-marido dela resolveu entrar na justiça com queixa de alienação parenta, dizendo que minha esposa tem evitado que as crianças o vejam, e que ela tem colocado em risco segurança das crianças, temos uma vida feliz, sempre levamos as crianças conosco onde quer que agente vá, viagens, parques, praia, nossa vida gira em torno de nós quatro, em minhas programações de fim de semana sempre estão as crianças. Ela sempre deixou que o pai visse as meninas sendo que ele só as procura de vez em quando, tive oportunidade de presenciar ele só ligar para pegar elas pra passar final de semana depois de 52 dias, quando ficou acordado no divórcio que isto deveria ser feito de 15 em 15 dias, minha esposa esta apovorada com a possibilidade de perder a guarda devido as mentiras contadas por seu ex-esposo, pois no dia da audiência isto não foi levado em conta, pelo contrario, foi dito a minha esposa que as crianças são obrigadas e ver o pai mesmo que não queiram, e elas não querem´, pois a atual esposa do ex-marido vive usando de palavras de baixo escalão para se referir a minha esposa, as crianças devem ser ouvidas pela juiza ? se for constatado que tudo o que ele diz e mentira, o que fazer ? ele tentou isto outra vez pelo conselho tutelar daqui, mas foi negado a ele este direito pois depoisde investigarem deram a continuidade da guarda a minha esposa, que e uma mãe maravilhosa, uma filha especial e uma esposa digna de minha espacial atenção e estes ultimos fatos me deixam triste e preocupado pois adoram as crianças como se fossem minhas mesmo, como podemos proceder ? o que fazer no nosso caso ?.

    Fico desde já grato a aqueles que lerem esta e nos ajudarem com informações sobre leis e etc…

    fiquem com Deus

  25. Daniella disse:

    É preciso olhar “os dois lados da moeda”. Tenho uma filha de 5 anos. O pai sempre foi ausente, desde a gravidez. Quando percebi que teria que criar duas crianças, me separei. Sempre deixei claro que ele poderia ver a menina quando quisesse, sem dias ou tempo estabelecidos, pois ser pai não é como marcar consulta médica. Ocorre que, apesar de morar a menos de meia hora da minha residência e passar todos os dias na minha porta para ir e vir ao trabalho, chega a levar semanas sem sequer telefonar para nossa filha, qua já vai fazer seis anos. Nunca falei nada que pudesse desaboná-lo para minha filha e quando ele aparece, incentivo-a a ir com ele, passar um tempo juntos. Até mesmo cobro isso dele, de conviver mais com ela, coisa que ele nunca fez questão. Ele sabe até mesmo o endereço e telefone de meus parentes e não aparece porque não tem vontade. Lógico que não pratico nem nunca pratiquei alienação parental, mas se ele cismar de me atingir, até que os trâmites processuais ocorram, isso vai me gerar gastos com advogado (pois não sou hipossuficiente) além de outros inconvenientes. E o pior: minha filha vai ter que passar por constrangimentos, pois precisa ser ouvida e até mesmo vai ter sua inocência de criança perturbada. Sei que é só uma situação hipotética, mas totalmente possível de ocorrer. É só imaginar o caso da colega acima, que tem um ex que se sente incomodado em vê-la tocar a vida.

  26. RICARDO disse:

    Minha ex -sogra, vive colocando minha filha contra mim, já tem mais de 4 anos que não há vejo. Não foi uma gravidez planejada, logo que minha ex- sogra descobriu, mim obrigou a casar com a filha dela, pois se não casase ela mandava a filha abortar. Fiquei sem saber o que fazer , pois ai resolvi casar. Passei 11 meses casado, logo que minha filha nasceu nós nos separamos. então fui embora para o RJ, pois tinha ficado desempregado aqui, fui pra lá para trabalhar com meu tio, logo que comercei a trabalhar, mandava a penção, minha mãe tinha que depositar no conselho tutelar, pois a mesma, mesmo morando quase visinha era proibida de ter contato com a propria neta. Um certo dia uma amiga da minha mãe se encontrou com minha filha no mercantil, perguntou pela mãe dela e ela respondeu: FOI TRABALHAR, e seu pai: MORREU…
    Quando minha mãe mim ligou e falou isso , fiquei de coração partido, logo vim embora, cheguei na cidade de surpressa, quando chamei na porta da casa dela, ela coreu para os meus braços dizendo: PAPAI VOCÊ TA VIVO?… Depois desse dia foi so confusão. Em um certo dia era o aniversario da minha mãe, e eu fui pega-lá para o aniversario, pois tinha levado o presente do aniversario dela que já tinha passado, quando cheguei na casa dela, ela estava com a tia IVA, e a tia dela falou que não era pra ela ir, mais mesmo assim eu a levei, mais logo vim deixar novamente, pois ela não quiz ficar, pois estava com medo da tia brigar com ela, não demorou nem 10min. Quando fui chegando com ela a tia dela estava esperando na calçada, e ja foi recebendo ela com um monte de palavões, ai perdi a cabeça e tambem falei um monte de coisa com ela. Só sei que depois disso fomos terminar a noite na delegacia , pois eles forão na casa da minha mãe e acabaram agredindo minha mãe….. Por pouco não hove morte.
    depois disso tive poucos contato, pois a minha filha não queria mais mim vê. Pois a familia da mãe dela colocou um monte de coisa na cabeça dela. Moro em fortaleza, e ela mora no interior , em russas-ce, e quando vou lá, não tenho contato com ela pois a mesma não olha nem pra minha cara. Mais se deus quizer um dia ela vai mim procurar e eu vou ter a oportunidade de contar toda a verdade pra ela. Mais um coisa elas nunca esqueçem “A PENÇÃO” só sou pai dela nessa hora, na hora de depositar o dinheiro. Não vejo a hora dessa lei ser aprovada, para eu ir atras dos meus direitos.

  27. LAVINIA CELIA SILVA CASTELO disse:

    NAO SEI O QUE DIZER,ESTOU PASSANDO POR TUDO ISSO A JUSTIÇA E MUITO LENTA, ACABA COM A GENTE PRIMEIRO.. DEPOIS REVOLVI..

  28. Pessoal, dia 25 de abril é o dia Internacional da Conscientização da Alienação Parental. Somos vítimas disso e queremos unir forças. Por favor, façam contato. Moramos em Maringá. Quero fazer contato com a Adriana, seu testemunho é tocante demais.

  29. Meu e-mail silviareginaemiliano@hotmail.com

    Só vamos mudar essa realidade, quando manifestarmos nosso descontentamento perante a sociedade. Queremos organizar um debte para a TV no dia 25 de abril. Ajude-nos, por favor! Por mais difícil que pareça, podemos mudar essa realidade, incluindo aí a cegueira do judiciário, se não desistirmos agora.

    Entrem no site de http://www.odiariomaringa.com.br e procurem os artigos e reportagem publicados: Pai só no contracheque , Alienação Parental e Filhos, quero tê-los! Desde novembro de 2009, quando foi publicado o primeiro artigo sobre o tema, esse jornal tem recebido muitas cartas, inclusive do exterior, de vítimas da alienação parental. Você pode escrever para o jornal, O Diário de Maringá, comentando qualquer uma dessas matérias. Escreva um texto com o máximo de 800 caracteres e mande para caixapostal@odiariomaringa.com.br

    Se queremos mudança, não nos omitamos perante os fatos.

    Aguardo contatos.
    Silvia

  30. Selma disse:

    Gostei da aprovação dessa lei!!! Agora minhas ex cunhadas vão entender que apesar de não estarem mais com o pai das crianças elas não poderão mais chantegear , discutir ou impedir o meu irmão de vê-las. A briga era longa e meu irmão não pode chegar nem perto das crianças. Agora com essa nova lei se elas não se acertarem vão perder!!!! Parabéns para o criador da lei e pela aprovação !!!!

  31. pode ser que agora com a aprovação dessa lei as partes causadoras da alienação,reflitam melhor,que os filhos não precisam pagar pelo erros dos pais.fui impedida de ver meus filhos,ele chegou a levá-los para outra cidade perdi o contato,levava as crianças no cemitério num tumulo aleatorio,dizendo que era o meu,queimou minhas fotos e as pessoas não podiam falar no meu nome,por ele ser oficial da policia daqui não pude contar com ninguém o conselho tutelar disse que era melhor eu ter colocado as crianças a pedir na rua do que ter entregue a ele,arquivaram o processo no qual eu pedia ajuda a ele após a separação,tive que entregar meus filhos para me reerguer.hoje,após quase tres anos,consegui o direito a visita,mas estou tentando reconquistá-los pois não querem me visitar,eu pedi ajuda psicológica mas,o conselho só promete,a cidade é super pequena e ele voltou a morar aqui a um ano eu sou cabeleireira e ele convive com a justiça é a lei do mais forte,tenho que acreditar que um dia vou poder passar um dia com meus filhos,almoçar com eles,porque apesar de ter liminar de visita ele mora dentro do quartel e não deixa as crianças sairem comigo,sinto que eles tem medo.vou confiar nesta lei.é só o que temos!!!!!!!!!!!!

  32. Mary disse:

    O legislador que aprovou o divórcio, desquite, e que criou o ex ou a ex qualquer coisa está certamente pagando na outra vida por isto. E por isto os PAIS TEM QUE LEMBRAR QUE UMA CRIANÇA É 50% A MAE E 50% O PAI e que portanto quanto ele ou ela falam mal do outro estao dizendo à pobre criança que ELA É 50% má, deficiente, tola ou o que seja. E a criança absorve isto. Esta lei é muito boa. Vai ajudar muito. Mas o que realmente resolve é UMA FAMÍLIA SOLIDA E BEM FORMADA. Famílias de segunda mao sempre terao sequelas. Maridos de segunda mao sempre trarao problemas, mulheres de segunda mao sempre trarao feridas. Casem-se jovens mas PENSEM, tudo o que vc faz no mundo alguem paga por isto, e às vezes voce mesmo paga. As pobres crianças inevitavelmente pagam. Quando a família for bem unida e estruturada isto vai se reduzir a quase nada. Temos que cuidar de nossos corpos e náo jogá-lo em qualquer cama.

  33. Mary,
    Permita-me uma consideração sobre seu comentário. Embora reconhecendo seu democrático direito de dizer o que pensa e desde que haja respeito, defendo a livre expressão, creio que é muito pertinente querer defender a infância e creio que vc tem todo o direito de ficar irritada com os pais e mães alienadores, afinal, essas pessoas realmente causam um dano enorme aos próprios filhos. Agora, sinceramente, recomendo que você pare e pense no absurdo que é dizer que “famílias de segunda mão, maridos de segunda mão e mulheres de segunda mão, deixam sequelas” O que é isto! É uma fala preconceituosa, no meu entendimento. Você quer dizer então que o divórcio é algo ruim, de maneira nenhuma minha cara, o divórcio é uma conquista social. Ninguém está isento de cometer erros e o divórcio é uma forma de corrigir os erros e não passar o resto da vida atrelado (a) a uma relação infeliz, sofrendo e fazendo outros sofrerem ou vc acha que filhos de pai que está infeliz em casa e arruma amante na rua ou de mãe frustrada com o casamento infeliz também não sofrem? Você não acredita em segundas chances, tem opinião tão conservadora e radical assim sobre o casamento? Uma família sólida tem valores morais sólidos e um casamento infeliz de primeira mão – usando esse termo inadequado que vc usa, coisificando as pessoas, nao somos objetos pra ser de primeira ou segunda mão, novos ou usados -, mantido na base das aparências, não é garantia nenhuma de solidez moral. Um filho bem criado por sua mãe e por um padrasto legal, ou pelo pai com uma madrasta legal, tem tantas chances de ser bem formado intelectual e moralmente quanto quem vive com pai e mãe de primeiros casamentos felizes, apenas felizes, porque o primeiro casamento infeliz existe minha cara, e causa tanto dano quanto alienação parental. Ao rejeitar outros arranjos familiares que não sejam primeiros casamentos vc tb rejeita adoções? Filhos adotivos na sua opinião seriam de segunda mão? Pq não foram concebidos pelo pai e mãe que os cria? Há que se ter cuidado com as posturas radicais como essa, pq generalizar nunca é bom. Relações felizes, um pai e uma mãe felizes, seja juntos ou separados, um pai e uma mãe comprometidos com orientar e educar os filhos, não importa se juntos ou separados, e que não delegam essa tarefa à escola e a televisão ou a baba, é que vão garantir uma pessoa saudável e igualmente feliz no futuro. Criar filho dá trabalho e é um compromisso de vida. Quem aliena é alguém imaturo, que jamais devir ter posto filhos no mundo. Um alienador é alguém infantil, que não sabe viver o fim de um relacionamento e por isso se vinga dessa maneira mesquinha. Mas por favor, não generalize e nem compare todas as pessoas que querem segundas chances de ser felizes na vida com alienadores. Obrigada por visitar o nosso blog e um abraço!

  34. eu tinha um relacionamento de muitos anos, certa vez brigamos e ele saiu com outra pessoa, que fez um tratamento escondido dele pois eles não podiam ter filhos pelo tipo sanguino,ela ficou gravida e ele mim contou, eu terminei dando todo apoio á ele, até fui com ele rezistrar á menina, terminei mim apegando muito á ela e ela a mim até ums seis anos, depois ela começou a mudar comigo, antes ela era tão apegada a mim e eu a ela que de 15 em 15 dias ele pegava ela ainda com meses de nascida ela nem queria voutar pra casa eu fiz quarto na casa dele pra ela, era tratada como uma princesa e nunca tive nada contra á mãe dela, mais a mãe não soube adiministrar o ciume, e fez de um tudo pra menina começar a mim destratar e mesmo assim, como nunca morei com ele mim afastei um pouco pra ver se futuramente á propia menina sentia o quanto ela era inportante pra mim, mais mesmo assim não adiantou a chegou a mim falar que jamais deixaria a filha gostar de mim, e ia fazer de tudo pra ela mim odiar, fiquei ororizada pois acho que quando vc é mãe separada devia pedir á deus que sua filha tivese uma segunda mãe. só sei que mim magoei muito e até hoje sofro muito,pois amo essa pessoa mais preferi abrir mão dele do que viver em conflitos, enquanto as pessoas não pararem de falar que toda madrasta e padrasto não prestam muitos vão sofrer como até hoje eu sofro, pois sempre tive um amor incondicional por essa criança que hoje com 10 anos aprendeu toda maldade da mãe e não respeita nem o propio pai que sempre foi maravilhoso pra ela, hoje em dia é só brigas por dinheiro como sempre, mesmo assim acho que o pior de tudo foi o tal do amor egoista da propia mãe, pois eu só não amamente poque não tinha leite, mais dei muito carinho e muito amor e jamais mim arepederei, mesmo não sendo facil uma criança que tanto amei mim dizer que nunca gostou de mim e pior sempre mim odiou, fiquei muito assustada que é porriso que as familias hoje em dia estão sem base,sem contar que quando a menina fez 2 anos ela ficou com outra pessoa e teve outra filha.. hoje abri mão de um relacionamento de 14 anos com o pai dessa menina,mais ainda nos amamos muito, foi uma decição minha não sei se é a mais certa, mais ele é pai e eu não sei viver em conflito, e pra variar como sempre madrasta só tem direito de ficar calada e ainda leva a culpa de tudo de errado que acontecer,mais graças á deus tenho outro filho de consideração tipo sobrinhos e afilhados que mim tratam como uma segunda mãe, eu só tenho é que mim orgulhar pois passei por tudo isso e nunca disse que essa menina que um dia cheiguei a pensar que era minha filha, nunca a distratei e jamais farei isso só falei á verdade que tava muito magoada, pois ela nunca teve um unico motivo pra não gostar de mim.. agora é só entregar nas mãos de Deus..

  35. Ricardo José disse:

    Minha decepção com essa nossa justiça terrena é muito grande. Vivi com uma mulher a 12 anos, tive uma filha linda, minha ex-mulher começou se envolver com uma suposta religião, onde o pai de santo ao jogar búzios, comunicou a ela deveria ir embora de casa, que só assim sua vida iria melhorar. Incrível que pareça, ela fez o que ele mandou.
    . Passando-se 5 anos de nossas vidas, as brigas se intensificaram, ela passou a trazer despachos com um enorme punhal prateado para dentro de casa. Passei a perceber, que ela ouvia vozes, onde essas vozes mandavam que ela enfiasse o punhal em mim.
    Passei a adoecer de 2002 até 2008. A ultima doença foi um fungo que vive nas fezes de morcego (Histoplasmose Pulmonar), instalada em meus pulmões onde quase fui a óbito.
    Coloquei uma escuta telefônica em minha linha telefônica, pude constatar as intenções macabras de minha ex-esposa e seus familiares. Comuniquei a minha ex de seus objetivos, e após eu sair ao trabalho, ela foi embora com minha filha. Procurei ajuda em uma delegacia, e aí veio a minha primeira decepção, as funcionárias presentes (mulheres) fizeram de tudo para defender a minha ex.
    Procurei o conselho tutelar de ramos, onde os profissionais presentes tomaram ciência da escuta telefônica e as fotos de despachos em casa com um punhal enorme, onde os mesmos ficando assombrados com que ouviram e viram. Mandaram comparecer a minha ex, e não fizeram nada. Fui convocado pela justiça a comparecer no fórum para pagamento de pensão alimentícia e fui tratado como um cachorro. A Juísa presente só estava preocupada com meu contra-cheque, quanto eu ganhava. Neste período, eu já estava a 3 meses sem ter qualquer contato com minha filha.
    Procurei um advogado, para pedido de guarda. Foi redigido a petição e colocado todas as provas, (escuta telefônica e fotos bizarras) e demos entrada ao processo. A Juíza analisou a petição e deu procedimento ao processo.
    Fui convocado pela justiça a uma entrevista com a assistente social, e a mesma tomou ciência da escuta telefônica e as fotos, e seu parecer final foi que a mãe ficasse com a criança. Fui convocado novamente pela justiça pela psicóloga para entrevista, a mesma tomou ciência da escuta e ficou apavorada, e me disse que não tiraria a criança da guarda da mãe, porque ela poderia piorar.
    Hoje desisti da guarda de milha filha. Nesses 2 anos e meio minha ex, fez o que quis. Afastou a criança de mim e meus familiares com o apoio desses profissionais. A minha ex tem problemas psiquiátricos. Infelismente, ainda existem profissionais com a mesma metodologia primitiva que ‘TODA CRIANÇA TEM QUE FICAR COM A MÃE’.
    Em momento algum, esses profissionais não pensaram no bem estar de minha filha.O pai para esses profissionais são pedófilos,vagabundos,violentos,só gostam de futebol e arrumar amante. Isso não serve para todos, ninguém é igual a ninguém. Em momento algum essas pessoas foram profissionais, foram verdadeiramente, mulheres defendendo mulheres. Foi uma grande DECEPÇÃO. Até hoje, esta infeliz manipula minha filha(alienação parental), inventando tudo do pior de mim e de meus familiares, jogando a criança contra todos nós.
    Vamos ver com essa nova lei, se vão olhar verdadeiramente para os pequeninos, que sofrem sem saber porque!

    Obrigado.
    Ricardo José

  36. Oi Ricardo José,
    Sua história é mesmo muito triste e sinto muito por sua experiência, mas não julgue todas as mulheres pelo comportamento que você relata como sendo o da sua ex-esposa, se você diz que nem todos os pais são “pedófilos, vagabundos e que gostam de beber e arrumar amante”, saiba também que nem todas as mães são alienadoras parentais ou ameaçam a vida dos outros. Sendo que é sempre bom lembrar que os pais também alienam! Principalmente porque na nossa sociedade ainda muito machista, os homens estão o tempo todo julgando as mulheres e não são raros os casos de pais que fazem perversidades com os filhos para se vingar das ex-esposas que se separaram deles. Aqui mesmo na Bahia houve um caso de um pai que tentou matar seu filhinho enfiando 40 agulhas no corpo da criança, como forma de se vingar da mãe, que tentava na justiça obter a guarda de seu filho, dado ao pai por um juiz. Juizes são homens e cometem erros, infelizmente quando eles erram nesses casos, a criança paga. Tampouco julgue todos os adeptos de religiões afro-brasileiras com base no comportamento que você relata como sendo de um homem que se diz pai de santo, mas que pode até não ser de verdade. Espero que a justiça esteja sempre do lado dos justos e que a lei realmente sirva para punir culpados e não inocentes. Abraços e obrigada por comentar no blog. Boa sorte na sua luta!

DEIXE UM COMENTÁRIO!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s